Formação dos hábitos alimentares e consequências futuras.

16/08/2018 17:20

Em minha casa temos uma alimentação bastante diversificada sempre, mas meu filho não quer experimentar nada novo. O que fazer?

Pensando na alimentação da criança, é importante realizar uma introdução alimentar adequada (aos 6 mieses), assim, com a formação do paladar, fica mais fácil a criança manter uma boa aceitação e “ter coragem” de provar outros alimentos com o passar da idade. Toda a criança tem fases de rejeições alimentares, ou caso elas não aceitem provar os alimentos, é importante fazer a criança participar do preparo, ir a feira/mercado, para que ela conheça os alimentos, oferecer os alimentos em preparações diferentes. A família será sempre o exemplo para a criança, então se todos têm o hábito saudável, a criança também começará a ter. O importante é não desistir e sempre colocar todos os alimentos no prato (mesmo que ela não queira). Insistir para ela provar (sem forçar).

Posso deixar a criança ingerir bebidas como água, suco e refrigerantes durante as refeições?

Não é indicado o consumo de líquidos durante as refeições por dois motivos: a) os líquidos podem ajudar a “empurrar” a comida, fazendo com que a pessoa mastigue menos, coma mais rápido e consequentemente, consuma maior quantidade de alimentos ou b) a criança acaba consumindo os líquidos e não aceitando os alimentos (ocupa seu volume gástrico com o líquido). Sem falar na digestão que pode ficar lentificada. Não se pode esquecer no consumo das bebidas açucaradas (refrigerantes, suco industrializados, excesso de açúcar) relacionadas ao excesso de peso. O ideal é se alimentar sem os líquidos, mas caso não consiga retirá-los, é permitido uma quantidade mínima no final da refeição, de água ou suco natural de preferência não adoçado.

Meu filho não quer comer as refeições, posso oferecer a recompensa da sobremesa caso ele aceite comer a comida?

Não é indicado oferecer “trocas” ou “recompensas” para a criança realizar as refeições. Isso faz com que a criança coma forçado ou mesmo que ela “manipule” os pais, assim, ela tenha o domínio da situação (percebe que os pais ficam preocupados que ela não come e se “aproveita” da situação). Como é muito provável que esta sobremesa seja um doce, de qualquer forma estará sendo um incentivo do consumo de alimentos não adequados. A educação alimentar é o melhor caminho...

Meu filho come muito em todas as refeições, isso pode indicar alguma pré-disposição a problemas de saúde futuros, como obesidade e colesterol alto?

O “comer muito” deve ser avaliado pela nutricionista. As crianças têm necessidades nutricionais diferentes, de acordo com sua idade e condição nutricional, e também tem seu metabolismo. A melhor forma de se avaliar, é verificar os horários das refeições, quais alimentos e quantidades estão sendo consumidas, prática de atividade física, avaliação do peso, composição corporal, além de histórico familiar de tais doenças. De acordo com a avaliação, o profissional poderá sinalizar sobre esta predisposição.

 

Conheça Simone Lopes da Silva
Nutricionista
Formada pelo Centro Universitário São Camilo, 2004. Especialização em Saúde, Nutrição e Alimentação 
Infantil - Enfoque Multiprofissional, pela Unifesp/ Escola Paulista de Medicina, 2007. Mestrado em Ciências (2010) e Doutorado em Ciências (2015), pelo Departamento de Pediatria da Unifesp/Escola Paulista de Medicina. Nutricionista voluntária do ambulatório de Reumatologia Pediátrica da Unifesp. Nutricionista do Programa Mommy Care de Introdução da Alimentação da Care Plus. Atendimentos em consultório particular.

Compartilhe:
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+