As principais dúvidas sobre amamentação

21/09/2018 12:18

Posso amamentar sempre que o meu bebê chora ou tenho que manter o ritmo de 3 em 3 horas?

A melhor forma de amamentar o seu bebê, especialmente no primeiro mês de vida, é a livre demanda. Ou seja, quando ele chorar você dá de mamar, pois pode ser fome. Por volta de 1 mês a 1 mês e meio os bebês já tem mais reservas calóricas e conseguem "esticar" o período entre as mamadas para 3 a 4 horas. Isto é especialmente válido nas primeiras semanas de vida, quando há risco de hipoglicemia quando o bebê passa fome.

Quais alimentos a mãe deve evitar ingerir durante a amamentação para evitar as cólicas?

As mães não devem restringir alimentos com o objetivo de evitar as cólicas. Não há evidência científica que suporte este mito da Pediatria. Algumas mães relatam melhora das cólicas quando evitam leite e seus derivados, frutas cítricas, peixes e frutos do mar e nozes e castanhas. Mas são experiências pessoais.

Como conservar e armazenar o leite materno? Por quanto tempo?

A conservação do leite materno é um assunto delicado, pois depende da qualidade da geladeira e do congelador ou feezer, da higiene da coleta e dos apetrechos utilizados no processo. De um modo geral ele pode ficar na geladeira por 3 a 6 horas. Com relação ao congelamento, recomenda-se que o leite materno fique armazenado por 2 semanas, no máximo, em condições excelentes. Mas recomendo que você converse com o seu pediatra, que vai analisar a melhor opção no seu caso.

Por quanto tempo devo amamentar? Posso complementar com fórmula?

Recomenda-se o aleitamento materno exclusivo até os 6 meses de idade, desde que o bebê esteja ganhando peso adequadamente. Depois dos 6 meses o aleitamento segue, mas são introduzidos outros alimentos, como frutas e legumes, entre outros. Em muitas situações a complementação com fórmula é necessária, mesmo antes do sexto mês de vida, seja por baixo ganho de peso, algum problema de saúde da mãe, volta ao trabalho ou simples opção da mãe, que de fato é quem deve decidir, seguindo a orientação do pediatra. É importante que a mãe não se sinta culpada nesta hora, e que não sofra pressão desnecessária dos demais membros da família, o que é bem comum no dia a dia. A mãe não será menos mãe no caso de necessidade de complementação. O importante é garantir o bom desenvolvimento do bebê, que apresenta um crescimento muito intenso nos primeiros meses de vida.

Conheça Dr. Claudio A. Len

Pediatra da Clínica Len de Pediatria

Pediatra formado em 1987 pela Faculdade de Medicina da Santa Casa de São Paulo. Fez Residência Médica em Pediatria na Escola Paulista de Medicina. Nesta mesma instituição fez Mestrado e Doutorado em Reumatologia Pediátrica e atualmente é Professor da Disciplina de Alergia, Imunologia Clínica e Reumatologia do Departamento de Pediatria. Título de Especialista em Pediatria desde 1990. Médico do Departamento Materno-Infantil do Hospital Israelita Albert Einstein.

Compartilhe:
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
Tags: