A alimentação da mamãe afeta o bebê?

14/12/2017 11:03

Passado o período de enjoos e azias do início da gestação, que fome que dá, não é mesmo? E uma das coisas mais gostosas da gravidez é poder comer sem culpa, saciar todos os desejos gastronômicos mais malucos e se deliciar com os alimentos que mais gostamos de comer. Mas, se por um lado tem todo esse prazer, não menos importante é a influência do que a mamãe come na vida do bebê, seja na barriga ou durante a amamentação. Saiba quais são os alimentos mais recomendados e os que devem ser evitados para preservar a saúde e o desenvolvimento ideal de seu bebê!

Convidamos a nutricionista especialista em alimentação Infantil, Dra. Simone Guerra Lopes da Silva, para falar sobre o assunto e esclarecer os pontos positivos e negativos deste método.


A alimentação da mamãe durante a gestação influencia no crescimento e desenvolvimento de todos os órgãos e sistemas do bebê?

A alimentação materna durante a gestação é extremamente importante para o bebê, ela influencia o crescimento e desenvolvimento intra-uterino e também após seu nascimento, mantendo-se até o restante da vida. A epigenética é a denominação da influência ambiental sobre os genes, isto é, a programação metabólica.

Quais alimentos são mais indicados para as mamães em cada trimestre da gestação?

Os principais guias de orientação à alimentação materna, preconizam uma dieta balanceada como um todo, incluindo todos os nutrientes, como proteínas, carboidratos, lipídeos, fibras, vitaminas e minerais. Não há orientação específica para cada trimestre, pois todo o período gestacional deve conter todos os nutrientes.

Durante o período de amamentação, quais alimentos a mamãe deve evitar?

Durante a amamentação, a mamãe deve evitar alimentos industrializados, ultraprocessados, com gordura trans (ou hidrogenada), doces em excesso e bebida alcoólica.

Consumo excessivo de açúcar durante a gravidez pode prejudicar o bebê?

O excesso de açúcar durante a gravidez irá interferir na programação metabólica, o que poderá ocasionar doenças futuras no bebê como diabetes e obesidade. Também vale lembrar que a mamãe poderá ter hiperinsulinemia, diabetes gestacional e ganho de peso.

Simone Guerra Lopes da Silva (CRN 3: 17244)

Nutricionista formada pelo Centro Universitário São Camilo, 2004. Especialização em Saúde, Nutrição e Alimentação Infantil - Enfoque Multiprofissional, pela Unifesp/Escola Paulista de Medicina, 2007. Mestrado em Ciências (2010) e Doutorado em Ciências (2015), pelo Departamento de Pediatria da Unifesp/Escola Paulista de Medicina. Nutricionista voluntária do ambulatório de Reumatologia Pediátrica da Unifesp.Nutricionista do Programa Mommy Care de Introdução da Alimentação da Care Plus. Atendimentos em consultório particular.

 

Compartilhe:
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+